Clube – O presente… e que futuro! Parte II

 

blue-eyes-wallpaper3

Tal como nosso compromisso assumido na semana anterior, hoje vou fazer análise dos temas que pela densidade do texto inicial, deixei para esta semana, os temas em análise são: Sócios, Modalidades e Estatutos, entendi não fazer alterações ao texto inicial, no entanto alguém mencionou-me esta semana, por que motivo não escrevia sobre Comunicação – que é um tema que o Clube tem dado o devido relevo, parece-me a mim que poderia englobar-se perfeitamente na temática dos Sócios, mas achei por bem ir ao encontro desta solicitação e destacá-lo, dando-lhe a devida importância.

                                           

SÓCIOS

 

Para mim existe um triângulo essencial na sustentação do clube, Património, Sócios e Formação com um todo.

Sócios, neste momento podem dizer que crescemos em Sócios, conforme informação do clube, não estamos a dizer é como – que são sazonais, que não é um crescimento recorrente – porque são os jovens das escolas (atletas do clube) e como tal, no futuro não podemos voltar aumentar sócios por esta via. Na realidade o clube ao longo dos anos, não tem tratado este tema com a importância que é devida.

Vejamos, no início tínhamos um Vice-Presidente para os Sócios, tendo trocado esse pelouro pelo Património, confesso que não sei se foi substituído por algum colega da Direção, mas se foi, não sei quem é…o Clube há muitos anos que é inerte sobre fazer ações, como por exemplo: fazer uma ação centrada, nas zonas de grande implantação de simpatizantes, concelho de Oeiras, Zona do Restelo/Ajuda e margem Sul (Trafaria, Porto Brandão Almada, Costa Caparica), além de outros locais onde virem fazer sentido. Não se faz uma ação estruturada de parcerias com escolas circundantes do Estádio para captação de Sócios, é importante levar o clube para fora (tema que vou falar na Comunicação).

Penso que a Clube tem capacidade de implementar uma ação de comunicação para os simpatizantes que nos últimos 10 anos deixaram de ser sócios, temos uma base de dados que devíamos aproveitar – ganhar sócios é difícil, como tal, temos que ir por o lado mais fácil, tentar capturar aqueles que já foram sócios, mas que simplesmente deixaram de o ser, por distanciamento do clube, para com eles. É óbvio que todas estas receitas ajudavam, se o futebol estivesse dentro do clube.

Quando falo da importância de existir um Vice-Presidente para os Sócios – seria um sinal claro da importância que o clube dá ao assunto. Sugeria que 1 dia por semana – pudesse haver um gabinete de atendimento aos Sócios com horas estipuladas, por forma a que alguns temas e ideias dos sócios, pudessem ser apresentadas – sendo que as melhores deveriam ser levadas a reunião de Direção.

Sem sócios, é difícil conseguirmos vender a nossa marca a parceiros/partners .

 

 MODALIDADES

 

Confesso que este possa não ser um tema consensual, sobre qual a melhor forma de gerir as Modalidades, investir, ou não investir, criar mais modalidades, ou reduzir?!

Este ano com aprovação do Orçamento ficou visível um claro acréscimo de custos/investimento nas modalidades, sendo que para mim o andebol deve ser a modalidade com maior Investimento – não é que possa gerar retorno financeiro, porque não se consegue vender/transacionar um jogador de Andebol, mas existe todo um historial no clube sobre esta modalidade, muito querida para todos nós.

No entanto, neste momento que o clube atravessa um PER, tenho alguma relutância que o clube ande a fazer investimentos quando tem dívidas para com credores, criticámos este tipo de Gestão no passado e estamos a cair no mesmo erro. Os valores que agora conseguimos antecipar (BP, ou outra entidade) – devem ser alocados para reduzirmos passivo. Dando nota do seguinte, um Investimento pressupõe apresentação de resultados, agora deixar de ser 7º classificado por exemplo, para tentar ser 4º ou 5º classificado não faz sentido esse investimento, as pessoas só se lembram dos vencedores. Existem várias modalidades do clube, com um Investimento acrescido e não sei qual o retorno  que teremos. Acredito que possa ser um tema complexo e deixo a cada um, que pense sobre o assunto e faça a sua própria análise, se devemos investir nas modalidades, ou pagar aos credores.

 

 ESTATUTOS

 

Este é um tema, onde tem de haver um debate sério e que o clube caminhe claramente no sentido da modernidade e com uns estatutos adequados aos tempos atuais. Acredito que quem esteve na última revisão de Estatutos tenha feito o melhor, duvido é que os estatutos hoje em dia – salvaguardem os interesses do clube.

Não sou Jurista, mas o clube está bem fornecido na sua massa adepta, desta classe profissional, pelo que penso que este tema deveria ser “puxado” pelo Dr. Pedro Pestana Bastos como PMAG, para a mesa de debate.

Vou dar 2 exemplos, para demonstrar como os mesmos estão desadequados.

Eleiçõesdeveria ser salvaguardado, que os 3 órgãos que concorrem às eleições fossem listas independentes e com votação para cada um dos órgãos (Direção, AG e CFD), porque o que acontece hoje em dia – os candidatos à Direção convidam para os outros órgãos, as pessoas que entendem melhor servirem os interesses do clube, no entanto por muita independência que tenham (e deveria ser total), existe sempre no subconsciente a dependência de quem os convidou.

O que se passou com o processo de averiguação que está a decorrer para com alguns consócios, com a Direção a liderar o processo e a enviar para o CFD, para dar sequencia a investigação, quando ao fim de dois anos não existe uma decisão, nem tão pouco os envolvidos foram ouvidos, acho no mínimo estranho. Quando condenamos a justiça Portuguesa por morosidade, como entenderemos que no nosso clube onde parece só existir um processo, não haja uma decisão sobre o mesmo?!

Se existe matéria de facto, deve-se ouvir os envolvidos e tomar uma decisão, ninguém está acima dos interesses do clube, seja quem for, isto para mim é claro. Não conhecendo o Dr. João Morão e parecendo-me uma pessoa que tenta ser independente, esta dúvida existirá sempre, se fosse um órgão independente, se o processo não teria já uma decisão, será que vai protelar-se até às próximas eleições??

Outro exemplo, é na ultima AG o Presidente do Clube Dr. Patrick M Carvalho, tentou explicar todos os processos, reconheço que leva tempo, no entanto discursou por mais de 40 minutos (devia ter efetuado uma sessão de esclarecimento) apesar dos vários avisos do PMAG da AG, o mesmo não foi interrompido.

Sabendo que o Dr. Pedro Pestana Bastos tenta exercer da melhor forma possível a função de PMAG e de forma independente, no entanto este fator das listas serem conjuntas pode mais uma vez aqui induzir numa dependência de uns órgãos, para com os outros.

Este é um tema que já vem de outras Direções e não tem obviamente a ver só com esta Direção, mas temos que mudar os estatutos.

Poder-se-ia dar outros exemplos: – como o número de assinaturas para requerer uma AG, face ao numero de sócios existentes parecem-me excessivo – penso que as 150 ou 160 assinaturas. etc…

 

COMUNICAÇÃO

 

Parece-me claro que o C.F.B. tem como Diretor de Comunicação, dos sócios que conheço, talvez a pessoa mais bem preparada para o ser, Consócio Pedro Guedes da Silva.

A página do facebook funciona muito bem, o site é bom, no entanto temos um problema só comunicamos numa via  (dentro para fora). Este situação que reporto vem na sequencia do que menciono no capitulo dos sócios, os sócios não tem forma de comunicar face to face (cara a cara), com o clube, por isso a importância de ter um gabinete de apoio ao sócio, que possa centralizar mail´s, reuniões etc… quantos de nós já enviaram um mail e não obtiveram resposta?!

A informação que concordo ser apelativa e importante –  sobre os calendários dos jogos do fim de semana, resultados, notícias muito relevantes da vida do clube, etc…

Já parece-me um pouco despropositado, andarmos em Outubro apresentar, jogadores um a um, quer seja da formação, ou do futebol feminino, parece-me excessivo e não vejo faça sentido.

A Comunicação está bem entregue, quem a gere faz o melhor, no entanto a ressalva de “abrirem” o clube aos sócios, como em epígrafe mencionei, até porque com esta Direção temos duas AG por ano, uma do Orçamento e outra apresentação de Contas, em que os sócios terão somente, esse espaço para comunicar.

 

 NOTAS FINAIS

 

Agradecer a quem leu, partilhou e escreveu no artigo da semana anterior, o objetivo era esse, discutir o clube de forma pensada, com grande elevação por parte de todos e penso sinceramente quem ganha é o clube, como um todo e nenhum de nós individualmente.

Mais uma vez reforço que pretendemos somente identificar o que em nosso entender poderia ser efetuado de forma diferente no clube e não criticar de forma fácil ou negativa e com objetivos de denegrir o trabalho de alguém. As pessoas fazem no seu entendimento, o que é melhor para o clube.

A ultima palavra, mais como um pedido, seja esta, ou outra Direção, que os sócios compareçam nos jogos, é muito triste os jogadores não sentirem o nosso “calor”, ainda recentemente estive no pavilhão a ver o Belenenses- Sporting em futsal e não fosse a fúria Azul (que é de uma dedicação única) a dar um colorido e calor ao ambiente, seria muito triste a fraca moldura humana presente.

Permitam-me só, que introduza estes pensamento, que está sempre muito presente, quando penso no Belenenses:

 

“Desafiar os velhos caminhos requer muito esforço, mas acomodar-se nos paradigmas ultrapassados, também. O mundo muda tão rapidamente que podemos ficar paralisados se não desafiarmos as nossas crenças e paradigmas. “

James Hunter Historiador Inglês (1948)

 

“ Tem a capacidade de olhar à tua volta e irás descobrir o brilho no olhar de quem vê o mundo de forma diferente… não observes com o intuito de encontrar aquilo que o destino tem a capacidade de juntar”

 

Carlos Fernandes

Pensador nas horas vagas 2017

 

Artigo por:

Carlos Canhoto Fernandes

 

 

0

belenenses2019

geral@belenenses2019.com