RR&C – Responsabilidade, Rigor e Conciliação

soccer-ball-in-blue-water

 

RR&C – Rigor, Responsabilidade e Conciliação

A poucos dias de terminar o prazo para as candidaturas se apresentarem ao próximo ato eleitoral não se conhece ainda nenhuma lista concorrente.

Partindo do princípio óbvio que a atual equipa em gestão se vai candidatar – por esse motivo se demitiu – era importante para a vida do clube que pudessem surgir outras candidaturas.

Seria um sinal que todos gostaríamos de receber, seja de “vivacidade” no contexto atual com a vida do clube, seja um sinal ainda mais importante, de debate sobre o que se encontra menos bem…

O clube só pode crescer debatendo ideias e não continuar fechado sobre si mesmo. Hoje em dia de tão pequenos que somos associativamente, o pior dos pecados é que os poucos existentes não tenham o direito a pronunciar-se ou a debater a vida do clube.

E quando digo aparecer uma lista, não me incomoda que seja uma lista associada ao Dr. Rui Soares porque, conforme os estatutos, terão que ser sócios de plenos direitos para se poderem candidatar e os sócios têm o direito de decidir se servem os interesses do clube ou não.

Assim como em abril de 2012 os sócios decidiram autorizar a abertura do capital social da SAD e assim como em dezembro de 2012 a maioria decidiu que este investidor servia (pode-se discutir que a AG não estava com poderes para essa decisão) também os sócios terão o direito a decidir o que será melhor para o clube neste momento.

Para mim parece-me claro, desde abril de 2012, que o tema da SAD foi um passo atrás na vida do clube, mas, como democrata, tenho que respeitar os votos da maioria, concordando ou não, é assim, felizmente!

Feito este enquadramento, o que gostava de ver debatido são os temas que abaixo menciono e, mesmo não sendo conhecida outra candidatura, gostaria que a Direção a constituir pelo Dr. Patrick M. Carvalho nos pudesse responder ao que correu menos bem e ao que não aconteceu neste mandato e fazia parte do programa eleitoral:

  1. Porque motivo saíram oficialmente 3 vice-presidentes (mais importantes que os motivos da saída é perceber se quando convidamos alguém estamos em sintonia), outros 2 vices não conhecemos o que fazem em prol do clube e a Direção que terminou este mandato resumia-se a 5 elementos?
  2. Será desta que o Projeto Imobiliário vai avançar depois desta Direção ter prometido que seria lançada a primeira pedra neste mandato?
  3. O que se passa com a segunda Modalidade mais importante do clube (Andebol), que no fundo terá que ser a mais importante desta Direção visto não ter o futebol sénior masculino para gerir?
  4. Para quando um verdadeiro provedor dos sócios – não que tenha algo contra a pessoa, antes pelo contrário, pois, não conhecendo pessoalmente o Sr. Rodrigo Saraiva, parece-me uma pessoa bastante ponderada e com perfil para o cargo – o modelo não pode ser este: o provedor dá seguimento às reclamações dos sócios. Tem que ser um órgão independente, que deve analisar, dar um parecer e remeter a um órgão independente, que deve ser por exemplo o CFD, respondendo este ao provedor por forma a enquadrar uma resposta final ao sócio. Devia haver um gabinete de atendimento aos sócios, gerido pelo provedor, com um dia por semana para os receber.
  5. Gostaria de entender no novo mandato, não havendo antecipação de receitas de forma recorrente como fizeram no passado, como vamos continuar a financiar as atividades amadoras que têm orçamentos altos para as receitas que temos?
  6. Que tipo de relação com a SAD? Não pode ser: no início do mandato vamos criar um ambiente de apaziguamento e sintonia e no final o oposto. Tem que haver uma estratégia delineada de princípio ao fim. Será que existe?
  7. Como sócio não gostaria de ver jogadores emprestados em nenhuma modalidade ou, se o fizermos, não podemos criticar os outros por terem o mesmo método que nós.
  8. Não conhecendo os fatores que levaram á derrota no futebol feminino não me pronuncio sobre esse tema, apesar de pensar algo sobre o assunto. O que é preocupante é levarmos para um jogo apenas 11 jogadoras pois estamos a falar do CFB e não de um clube que junta os atletas ao fim de semana e “vamos ali fazer um jogo…”
  9. A necessidade de uma clara melhoria de comunicação com os sócios, não digo ao nível de informação que melhorou muito neste mandato, mas ao nível de interação pessoal com os mesmos. Às vezes parece que, para a Direção, se alguns sócios levantam algum tema contrário ao seu pensamento, passam a ser um inimigo abater.
  10. Não podemos prometer títulos se não temos capacidade de os atingir e não podemos mencionar desempenhos de modalidades se nada temos a ver enquanto clube com o bom que se faz. É o caso do Rugby que tem uma gestão completamente autónoma do clube. No futsal já entendo porque esta Direção está em sintonia com o diretor.

Algo que devem continuar e de bom foi efetuado nesta gestão:

  1. O tratamento diferenciado pela positiva com os nossos ex-atletas e Dirigentes, EXCELENTE!
  2. Débitos diretos na quotização
  3. As Salésias, permitindo abrir um espaço para as escolas de Futebol.
  4. Os resultados no futebol Juvenil
  5. Aprovação do PIP
  6. A gestão do Futsal com resultados em todos os escalões.

Haverão muitos outros temas que eu gostaria de ter respostas, penso que os Sócios também.

Que o período prévio ás eleições nos possa ajudar a esclarecer estes 15 temas e outros, não só com a atual equipa de gestão em exercício, mas com outra candidatura, com outras ideias e com outros projetos, que possa aparecer até dia 4 de maio!

Que se fale e se discuta de forma elevada pois só assim podemos ajudar o clube, cada um nas suas funções: sócios, atletas e dirigentes.

Carlos Fernandes

0

belenenses2019

geral@belenenses2019.com